Noticias

27/09/2017

Próxima década será promissora para o setor avícola brasileiro, aponta Expedição Avicultura

Resultados dos roteiros de campo do projeto técnico-jornalístico foram divulgados na terça-feira (26), em evento na sede da Cooperativa C.Vale, em Palotina (PR)

Responsável pela exportação de 38% do frango consumido no mundo, o Brasil vai continuar crescendo em abates na próxima década. De acordo com dados da Expedição Avicultura, o país terá um crescimento de 1,55% na produção e de 4% na exportação de frango somente em 2017. Ao todo, serão produzidas 13,1 milhões de toneladas da proteína. O balanço da quarta edição do projeto foi apresentado nesta terça-feira (26) em evento na sede da Cooperativa C.Vale, em Palotina (PR).

Em três meses de estrada, a equipe de técnicos e jornalistas percorreu quase 16 mil quilômetros, pelos seis maiores estados produtores e exportadores de carne de frango: Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Goiás. “Ao longo da última década, o Brasil cresceu 60% na produção e 100% na exportação. São taxas impressionantes. A próxima década também será promissora. Mas vamos crescer com um ritmo mais lento e equilibrado. E esse será o grande desafio”, afirmou o gerente do Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo e coordenador do projeto, Giovani Ferreira.

Para construir o diagnóstico, a Expedição Avicultura 2017 visitou mais de 140 granjas, agroindústrias, cooperativas, produtores e corredores de exportação. “A avicultura é um setor extremamente importante para o desenvolvimento social e econômico do campo e da cidade. O desafio do futuro será nos mantermos competitivos. E por isso a importância da informação. Quanto mais informado, mais preparado o produtor, a cooperativa, o player estará”, reforçou Ferreira.

Para o coordenador de território aves do Paraná da Boehringer Ingelheim, Melquiades Dvojatzki Junior, o setor avícola é muito promissor. “Foi uma excelente experiência ser parceiro da Expedição Avicultura”. As projeções de crescimento se baseiam na intenção de agroindústrias como a C.Vale, que pretende aumentar a produção em 70 mil aves por dia até o ano que vem – passando de 530 mil para 600 mil cabeças/dia, conforme destacou o presidente da cooperativa, Alfredo Lang.

É uma atividade que gera riqueza e agrega valor”, completou o presidente da Integra e da Frangos Pioneiro, de Joaquim Távora (PR), Paulo Cesar Massaro Thibes. Também participou do evento a gerente de relacionamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Carmen Truite, que ressaltou a importância do apoio financeiro ao produtor.

 



voltar para página anterior