Noticias

30/05/2018

SRP pede o fim da paralisação dos caminhoneiros

Entidade considera que reivindicações foram contempladas

A Sociedade Rural do Paraná, que havia manifestado apoio às reivindicações dos caminhoneiros, entende que os pontos em pauta já foram contemplados e  pede o fim do movimento que, na opinião do presidente da entidade, Afranio Brandão, já começa a provocar caos no país.

“Inúmeros setores foram atingidos e os caminhoneiros conseguiram mostrar a união e a força que têm, mas entendemos que não é mais possível manter esse movimento, que está levando o país a uma situação muito delicada”, considera Brandão. “Nós entendemos que as reivindicações dos caminhoneiros foram justas, mas estão contempladas”, acrescenta.

No décimo dia de paralisação, as perdas atingem todas as cadeias produtivas e a rotina dos brasileiros no campo e na cidade. Escolas estão sem aulas, hospitais e postos de saúde sem medicamentos, o comércio não consegue fechar as contas do mês e os supermercados começam a ficar desabastecidos.  “Para o campo, os prejuízos são enormes e não serão reparados de imediato. No nosso estado, a avicultura e suinocultura foram os mais prejudicados, mas não só esses setores. Os produtores de leite estão descartando milhares de litros todos os dias, os animais estão sem alimento e morrendo, as máquinas começam a parar; os hortifrúti não saem das propriedades. Enfim, estamos prestes a um colapso”, define Brandão.

Para a Sociedade Rural do Paraná, a grande maioria das reivindicações dos caminhoneiros foi atendida. “Agora a pauta já é outra”, analisa o presidente da entidade. Para ele, os demais problemas enfrentados pelo país devem ser resolvidos nas urnas, nas próximas eleições que ocorrem em outubro.

 



voltar para página anterior