ExpoLondrina

SRP anuncia transferência da 60ª ExpoLondrina para abril de 2022

ExpoLondrina

A direção da Sociedade Rural do Paraná (SRP) anunciou nesta quinta-feira, dia 24 de junho, a transferência da 60ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina, agendada para 6 a 15 de agosto próximo. A nova data do evento será entre os dias 1º a 10 de abril de 2022. O presidente da SRP, Antônio Sampaio informa que a decisão da entidade foi respaldada nos pareceres da Promotoria Pública e Prefeitura Municipal de Londrina.

Segue abaixo o texto do anúncio da Sociedade Rural e na sequência a integra dos pareceres.

 ------------

A Sociedade Rural do Paraná vem através deste comunicado, apresentar a seguinte decisão:

 Considerando a atual situação da epidemia da COVID 19,

Considerando o posicionamento da 24ª Promotoria de Justiça de Londrina, amparada no parecer do Comitê de Crise da Saúde de Londrina apresentado no ofício 1302/2021,

Considerando o posicionamento da Prefeitura Municipal de Londrina apresentado pelo ofício nº 600/2021-GAB, que recomenda a não realização da ExpoLondrina 2021;

Tendo em vista o respeito que a Sociedade Rural do Paraná sempre teve para com a saúde e bem-estar da população de Londrina e região, assim como com seus parceiros, clientes, visitantes e funcionários,

Reconhecendo, que nas atuais circunstâncias em que se encontram os resultados dessa luta gigantesca contra a epidemia da COVID 19 não seria responsável realizar um evento de tal magnitude com a concentração de um grande número de pessoas,

Decidiu-se transferir a 60ª Edição da Exposição Agropecuária de Londrina que estava programada para acontecer no período de 06 a 15 de agosto de 2021 para a data de 01 a 10 de abril de 2022.

Agradecemos a compreensão de todos para esse difícil momento de nossas vidas, absolutamente inusitado, o que tem nos forçado a tomar diferentes decisões a cada dia.

 A direção.

------------------------

 NOTA CONJUNTA ENTIDADES DE SAÚDE DE LONDRINA PARA A NÃO
REALIZAÇÃO DA “EXPO LONDRINA 2021” – 26/05/2021


Considerando a situação atual da Pandemia da COVID-19 no
Estado do Paraná, com números alarmantes de novos casos na cidade de
Londrina, o que repercute no aumento da procura por atendimento médico,
necessidade de internação e consequente superlotação dos hospitais públicos e
privados, onde se cogita a terceira onda da COVID-19, dando ensejo, inclusive, à
edição de novo decreto estadual mais restritivo, sem prejuízo de novos decretos
municipais mais limitadores;

Em 23 de março de 2021 o Brasil registrou, pela primeira vez, mais de 3
mil óbitos pela COVID-19. Atualmente, há 16.194.209 (dezesseis milhões, cento e
noventa e quatro mil e duzentos e nove) casos confirmados em todo o território nacional e
um total de 452.031 (quatrocentos e cinquenta e dois mil e trinta e um) óbitos acumulados
no período1
.
Na última terça-feira, dia 25 de maio de 2021, o município de Londrina
registrou mais 11 (onze) mortes e 382 (trezentos e oitenta e dois) casos confirmados de
Covid-19, ultrapassando o número obtido nas últimas semanas. Há um acumulado de
1.414 (um mil quatrocentos e quatorze) mortes e 56.271 (cinquenta e seis mil, duzentos e
setenta e um) casos confirmados, sendo que 675 (seiscentos e setenta e cinco) são
casos ativos, dos quais 444 (quatrocentos e quarenta e quatro) estão em isolamento
domiciliar e 231 (duzentos e trinta e um) estão internados2
.
O Sistema de Saúde de Londrina está em sua capacidade máxima de
prestação de atendimento, tanto no que se refere à infraestrutura física de leitos,
quanto em relação à disponibilidade de materiais, equipamentos e recursos
humanos especializados.

No que se refere aos materiais médico-hospitalares, constatamos a
escassez de produtos essenciais no mercado, em especial medicamentos anestésicos. O
aumento expressivo no número de pacientes com a COVID-19 que necessitam de
ventilação pulmonar mecânica, acarretou o aumento no consumo dessas drogas
anestésicas (bloqueadores neuromusculares e sedativos) e, a reposição dos estoques
das instituições públicas e privadas de saúde se encontra prejudicada em razão da
insuficiência produtiva dos fabricantes diante da demanda crescente em todo território
nacional.

Alertamos a população para a redução acelerada dos estoques desses
medicamentos e outros itens imprescindíveis em todas as instituições de saúde de
Londrina. Tal fato poderá comprometer, além do atendimento à COVID-19, a realização de
procedimentos cirúrgicos e trazer prejuízos aos atendimentos da Rede de Urgência e
Emergência, como os casos de trauma, de infarto, de AVC, dentre outros.

Quanto à disponibilização de profissionais especializados, a sobrecarga
de trabalho tem resultado na exaustão física e emocional das equipes de saúde. Os
profissionais submetem-se a extensas jornadas de trabalho, os gestores das instituições de saúde enfrentam o aumento progressivo dos afastamentos, além da dificuldade de
contratação decorrente da ausência destes profissionais no mercado de trabalho.

Diante do iminente colapso do sistema de saúde – similar ao
experimentado em Manaus/AM, em Janeiro do corrente ano –, e, frente ao ritmo lento da
vacinação no território nacional, reiteramos a necessidade de intensificação das
medidas de orientação educativa, bem como dos esforços de todos no
cumprimento das medidas sanitárias para evitar a disseminação da doença.

Tudo isso vai de encontro à prática de grandes eventos que gerem
expressiva aglomeração de pessoas, advindas das mais variadas regiões do país e em
trânsito no município de Londrina. Significa dizer que: resta inviável e extremamente
temerosa a realização da 60a
edição da “ExpoLondrina” – feira esta que, nos
últimos anos, recebeu mais de 500 (quinhentas mil pessoas)

Isso se verifica não só em razão da vultuosa quantidade de pessoas, mas
também em razão da intensificação dos riscos de situações que demandam,
simultaneamente, atendimento médico e insumos, tal como ocorre em acidentes de
trânsito e decorrentes do uso de bebida alcoólica.

Vale salientar que o quadro atual ainda poderá deteriorar-se ainda mais,
se não houver esforços efetivos de toda a sociedade. O momento exige o
comprometimento de todos e somente a partir da união entre as autoridades sanitárias e
técnicas, bem como da população, poderemos fortalecer as ações de combate à COVID19, possibilitando aos Hospitais a prestação de assistência à saúde com segurança.

Sendo assim, as entidades e hospitais recomendam, a teor do
conteúdo mencionado, a não realização da 60a
edição da “ExpoLondrina”,
agendada para agosto de 2021.

Sem prejuízo, que a população evite demais aglomerações, mantenham o
distanciamento social, usem máscara e higienizem frequentemente a mão. Adotar
medidas que visem conter a transmissão do Coronavírus é um dever de todos!

Eu, Susana Broglia Feitosa de Lacerda, Coordenadora deste “Comitê
de Crise”, com atribuição na 24a Promotoria de Justiça de Londrina/PR, assino.

-----------------------------------------------------

Prefeitura do Municipio de Londrina

Estado do Parana

 

Oficio n° 600/2021-GAB.

Londrina, 23 de junho de 2021.

Ao Senhor Antonio Sampaio

Diretor Presidente da Sociedade Rural do Parana Londrina -  Pr

Assunto: Recomenda a nao realiza9ao da ExpoLondrina 2021.

 

Senhor Presidente,

Conforme amplamente noticiado pela imprensa e comunicado pelos canais oficiais do Municipio, o momento atual de recrudescimento da pandemia de COVID19 em todo o Estado do Parana, e tambem na cidade de Londrina, ocasionou aumento significativo da demanda por atendimento nos servi9os que comp5em a rede especializada de atendimento do Sistema Unico de Saude, especialmente na rede hospitalar, que no dia de hoje tern mais de 63 pacientes aguardando um leito de UTI.

Muito embora a Administra9ao Municipal realize monitoramento diuturno dos indicadores relativos a pandemia (numero de casos; demanda nos servi9os especia lizados ; taxa de transmissao; taxa de

positividade; ocupa9ao de leitos) e com base neles implemente todas as medidas necessarias para que o enfrentamento a pandemia se mantenha bem­ sucedido, a capacidade de atendimento esta em seu nivel maximo, tanto em rela9ao a infraestrutura fisica quanto em rela9ao a disponibilidade de 1nateriais , equipamentos e recursos humanos especializados.

Assim, diante do risco de colapso da rede hospitalar, há necessidade de intensificação das medidas de orientação educativa e dos esforços de todos no cumprimento das medidas sanitárias para evitar a disseminação da doença.

Com efeito, e considerando a grandiosidade do evento anualmente organizado por essa Instituição, entende-se por bem recomendar à Sociedade Rural do Paraná a não realização da tradicional EXPO LONDRINA durante este ano de 2021.

Certos de sua compreensão e pronta colaboração, renovamos protestos de estima e consideração.

 Atenciosamente,

Marcelo Belinati Martins

Prefeito de Londrina