INSTITUCIONAL SRP

A SOCIEDADE RURAL DO PARANÁ, uma das mais importantes entidades de classe do Brasil, foi fundada originalmente como ASSOCIAÇÃO RURAL DE LONDRINA no dia 19/06/1946 por um grupo de 19 pioneiros de Londrina. Era subordinada à Federação das Associações Rurais do Estado de São Paulo. Foi registrada no Ministério da Agricultura sob o Nº 689 e foi reconhecida como de UTILIDADE PÚBLICA Municipal em 26.06.1954 pela lei 233/54.

Por determinação de Assembleia Geral, realizada dia 18/08/1965, passou a ser denominada Sociedade Rural do Norte do Paraná e em 12 de dezembro de 1970, Sociedade Rural do Paraná, entidade sem fins lucrativos, reconhecida como associação na forma do ART 44 e 2031 do Código Civil Brasileiro, e de utilidade pública estadual pela lei 7.888 de 06.08.1984.

Seu primeiro Presidente eleito - para a gestão 1946/ 1948 - foi HUGO CABRAL, que também foi vereador, secretário de Viação e Obras e Prefeito de Londrina, antes mesmo de terminar a gestão na SRP, de 12/12/1947 a 13/05/1951. Em 1954 se tornou deputado federal. O quarto presidente da SRP, Raphael Ferreira Rezende (1952-1954), também se tornou deputado federal.

Seu quinto presidente eleito foi Antonio Fernandes Sobrinho, gestão 1954/1956 e 1978/1980, que foi prefeito de Londrina de 12/12/1955 a 12/12/1959. O sexto presidente, Nelson Maculan (1956-1958) foi vereador em 1954, senador em 1960 e deputado federal em 1974. A entidade, que sempre liderou ações em defesa do agronegócio brasileiro, já mostrava a sua força política desde a fundação. O então presidente Brazílio de Araújo Neto (1984-1986 e 1988-1990) foi presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no período de 1991 a 1994, presidente do Incra, em 1995, e diretor da Itaipu Binacional no biênio 1996-1996.

Outro ex-presidente da SRP a ocupar cargo político foi José Carlos Tibúrcio (1992-1993 e 1995-1996) que, em 1994 foi Secretário da Agricultura do Estado do Paraná, presidente Estadual de Feiras e Exposições e membro da Federação das Indústrias do Estado do Paraná. Mais recentemente, Alexandre Kireeff (2006-2008 e 2008-2010) foi eleito, de forma surpreendente, prefeito de Londrina, para a gestão 2013-2016.

Hoje a SRP não é só uma referência para o setor em suas lutas de classe e de decisões importantes para o avanço e desenvolvimento do AGRONEGÓCIO Brasileiro. Ela também interage com os demais segmentos da sociedade, engrossando as vozes em busca de melhorias para toda a sociedade da região Norte do Paraná e ainda é referência por realizar um dos principais eventos de negócios e lazer do Brasil, que é a EXPOLONDRINA.

Entre as importantes ações que merecem destaque está seu empenho direto na criação do IAPAR – Instituto Agronômico do Paraná com sede em Londrina, em abril de 1970. A área de 105 alqueires, ou 254,1 hectares, foi adquirida por um milhão e 203 mil cruzeiros – com ajuda da SRP, o Instituto Brasileiro do Café aportou 1,5 milhão para a compra. Foi uma extraordinária conquista pelo seu valor patrimonial e de pesquisa, contribuindo, e muito, com a evolução de produtividade de alimentos. Igualmente destaca-se o apoio da SRP na instalação da sede da EMBRAPA/SOJA no Município de Londrina.

PECUÁRIA NACIONAL

No desenvolvimento da Pecuária Nacional, a SRP foi e continua sendo de extrema importância. Desde as importações de animais das raças zebuínas da Índia em 1960 e 1962, realizadas graças à coragem e ousadia do sócio fundador da SRP e de Londrina Celso Garcia Cid e também de inúmeras importações de animais e sêmen das raças européias por diversos selecionadores sócios, a SRP sempre esteve ao lado dos pecuaristas, oferecendo apoio e viabilizando os documentos de registros dos animais, principalmente nos processos de exportações de animais do Paraná a países da América do Sul e Central.

Em abril de 1962, a SRP firmou parceria com a ABCZ – Associação Brasileira dos Criadores de Zebu – e, com autorização do Ministério da Agricultura, foi reconhecida como Delegada para realizar os serviços de Registros Genealógicos das Raças Zebuínas, permanecendo como tal até 31.08.2013. No período, totalizou mais de um milhão de animais registrados pelo Paraná.

Vale destacar que o Paraná é detentor de um dos melhores e mais eficientes modelo de melhoramento genético do Brasil. Em 1964, por sugestão do pioneiro, importador e sócio da SRP Celso Garcia Cid, com apoio da Sociedade Rural do Paraná, o Governo do Paraná implantou, no Estado, a distribuição de reprodutores puros de origem para os criadores retirarem da vacada os seus reprodutores de pouca qualidade genética. O resultado foi tão surpreendente que outros estados do Brasil e até países da América Central implantaram o mesmo modelo.

Após um ótimo trabalho da administração anterior, presidida pelo amigo Moacir Sgarioni, iniciamos uma nova gestão em agosto de 2016. Os desafios são muitos e sabemos que sem união nada se consegue. Sem comprometimento e profissionalismo também não. Posições diferentes em um grupo são benéficas, mas a coesão de ideias nos leva a avançar.

Fomos eleitos com a chapa “União faz a força”, que tem entre suas metas para a gestão, continuar o trabalho de motivação e participação dos sócios na entidade; intensificar contatos e parcerias com associações de produtores rurais, com instituições de pesquisa e lideranças políticas, além de uma maior aproximação com a Sociedade Rural Brasileira; dar continuidade ao trabalho de aprimoramento da ExpoLondrina; defender o direito de propriedade do produtor rural; realização de eventos para potencializar negócios entre os produtores da região e o mercado nacional e internacional; debater e buscar melhorias em questões de logística, duplicação e manutenção de rodovias e ferrovias por onde escoam a produção rural; entre outros temas de grande importância para o desenvolvimento e fortalecimento do agronegócio.

O sucesso dessas ações dependem, no entanto, da participação ativa e efetiva de cada sócio. Por isso, conclamamos e contamos com todos para discutir e implementar procedimentos que nos levem a ter uma entidade cada vez mais forte e representativa.

Contamos com vocês.

Afranio Brandão

Objetivos e metas

1. Trabalhar em busca de uma maior participação dos atuais sócios através de políticas e ações que gerem este resultado. Além de apresentar a futuros, possíveis, sócios os benefícios de participar desta Sociedade. Abrir as portas da SRP aos produtores rurais, não importando se são pequenos, médios ou grandes com o objetivo de trazer esses produtores para a SRP;

2. Estar mais atuante, política e economicamente, nas causas do Agronegócio. Buscando com maior efetividade e criticidade os interesses do setor agropecuário. Apoiando iniciativas que favoreçam o setor, combatendo veementemente as que distorcem a visão correta do Agro e até propondo alterações e novas legislações que deem segurança ao setor.

3. Manter contato próximo com lideranças políticas municipais, estaduais e federais, tendo em vista que somos uma associação de política classista. Devemos questioná-los e cobrá-los quando for necessário e subsidiá-los com informações precisas e verdadeiras para que tomem decisões coerentes. Para tal contato não importa orientação política nem partidária, o importante é a solução dos nossos problemas.

4. O Direito de Propriedade do Produtor Rural deve ser uma preocupação constante e defendê-lo deve ser uma prioridade desta gestão. Apoiando o sócio sempre que for necessário e apoiando políticas públicas que busquem a garantia deste Direito.

5. Manter contato próximo com outras associações de produtores rurais (Outras Sociedades Rurais, OCEPAR, FAEP, Sindicatos Rurais, CNA, Associações de Raças, entre outras) e com a SRB, buscando o fortalecimento da classe Agro. Desta forma podemos gerar sinergias e força para defender nossas causas e sermos mais representativos.

6. Apoiar as iniciativas de difusão de tecnologia, IAPAR, EMBRAPA, EMATER, Universidades, Fundações, dentre outras, contribuindo dessa maneira para que estas continuem com os desenvolvimentos tecnológicos e extensão tão importantes ao nosso país, que tem sua base no Agronegócio. Apoiando estas entidades para que as mesmas tenham acesso aos recursos necessários para o desenvolvimento de seu trabalho, seja através do setor público ou de parcerias público/privadas, as quais precisam ser ampliadas em nosso país.

7. Continuar aprimorando a ExpoLondrina, o maior e mais importante evento da SRP, o qual dá o suporte financeiro para a manutenção e realização de todas as outras atividades desenvolvidas pela Sociedade. Pretende-se, para isto, desenvolver um manual no qual estará descriminado todo o aprendizado de gestões passadas e o passo a passo para que futuras gestões possam realizar o evento com um nível de conhecimento superior e desta forma minimizar os erros de tão importante realização;

8. Buscar a realização de rodadas de negócios, nacionais e internacionais, com ajuda de instituições e empresas que possuem esta expertise. Trazendo desta forma, além de movimentação ao nosso parque, oportunidades aos nossos sócios, melhoria da atividade econômica no campo e na região.

9. Continuar com o desenvolvimento de atividade equestre na Sociedade Rural, uma vez que dispomos da melhor estrutura do Paraná para este fim e que acabamos de conquistar um importante evento Nacional, temos que lutar para mantê-lo. O incremento da atividade equestre pode aumentar o número de sócios e melhorar o convívio entre eles.

10. Trabalhar para viabilizar novamente leilões periódicos de gado nas dependências do Parque Gov. Ney Braga.