Projeto de duplicação da PR 445 até Mauá será agilizado

Importantes definições ocorreram em reunião realizada nesta terça em Curitiba

Projeto de duplicação da PR 445 até Mauá será agilizado

Uma força-tarefa começou a ser montada para que o projeto de duplicação da PR 445, de Irerê a Mauá da Serra, fique pronto o mais rápido possível, garantiu o secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, na reunião desta terça-feira (20), na SEIL.

A partir da informação trazida pelos deputados estaduais Tiago Amaral, Tercilio Turini e Luiz Claudio Romanelli de que o termo de referência para a duplicação do trecho de 50 km está pronto, o secretário afirmou que serão usados recursos do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). O termo de referência são todas as definições técnicas que devem constar no projeto a ser elaborado.  A informação foi repassada pelo superintendente Regional Norte do DER, Marco Aurelio Sguario, na semana passada. Convocada pela direção da Sociedade Rural do Paraná (SRP), o objetivo da reunião foi viabilizar e agilizar o projeto e as obras de duplicação da rodovia, devido à importância dela para a região. Participaram representantes de 14 entidades e instituições, além de deputados federais e estaduais e do superintendente Regional Norte do DER, Marco Aurélio Sguario.

“Nesse momento os técnicos do DER começam as tratativas junto ao BID para a abertura do edital para contratação do projeto de duplicação que poderá ser dividido em dois lotes para agilizar: de Irerê a Tamarana e de Tamarana a Mauá da Serra”, explicou Sandro Alex.

Segundo ele, a meta é lançar o edital até o final de setembro. “Recurso não é o problema. Nós precisamos é correr contra o tempo. A licitação e a contratação do projeto demoram muito e a gente queria finalizar até o final do ano que vem para daí licitar a obra”, acrescentou. De acordo com os técnicos do DER, o projeto para o trecho de 52 km demora cerca de um ano.

Tanto o projeto como a obra podem ser executados com recursos do BID. A estimativa de custo do projeto é de R$ 5 a R$ 6 milhões e a obra ficaria em aproximadamente R$ 300 milhões. “O projeto do BID está aprovado até 2022, então, temos que fazer a obra neste prazo. Incicialmente se fala em um ano para concluir um projeto como esse. A gente está tentando baixar para oito, dez meses para ganhar tempo”, afirmou Sandro Alex.   

Para o deputado Tiago Amaral “O BID já dispõe de uma classificação de empresas pré-selecionadas que podem apresentar as propostas, o que vai agilizar o processo. É o caminho mais rápido”, afirmou. Segundo ele, o termo de referência para o projeto foi um pedido da Comissão de Infraestrutura de Londrina e Região ao superintendente Regional Norte do DER, Marco Aurelio Sguario, na reunião realizada pela comissão em 26 de julho, na ACIL. A comissão realiza reuniões mensais para tratar das obras prioritárias para Londrina e região. “Tivemos uma boa surpresa na reunião na semana passada na Sociedade Rural do Paraná com o termo de referência pronto”, comentou o parlamentar.    

A melhor solução  - “Foi a melhor solução. Seria uma situação extrema os empresários bancarem o projeto. Agora é manter a pressão”, afirmou o presidente da SRP, Antonio de Oliveira Sampaio.    

Para o presidente da Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL), Fernando Moraes “Hoje Londrina está muito mais ligada à São Paulo e tem tudo a ver com a logística. Há muito tempo estamos nessa batalha para a duplicação da PR 445. Com a Comissão de Infraestrutura a sociedade civil organizada está sendo valorizada”, afirma Fernando Moraes.  

“É mais um avanço na duplicação da PR 445 até Mauá da Serra, obra fundamental para fortalecer o desenvolvimento de Londrina e região. A mobilização política e de lideranças regionais tem sido importantíssima para convencimento sobre a necessidade de melhorar a logística de transporte de Londrina em direção a Curitiba e ao Porto de Paranaguá. A reunião da semana passada na Sociedade Rural foi mais um passo, que resultou no posicionamento do secretário Sandro Alex”, destacou Tercilio Turini.

Em andamento – A duplicação de 15 km entre Londrina e Irerê está em andamento com conclusão prevista em julho de 2010.  A obra está sendo realizada com recursos do Governo do Paraná pelo Consórcio ED - formado pelas empresas Enpavi e DP Barros -,  de São Paulo, com valor de R$ 93 milhões. Além da duplicação, estão sendo construídas alargamento de ponte, interseções, vias marginais, trincheiras e viadutos. 

Comissão de Infraestrutura - Por meio do trabalho da Comissão, criada em julho de 2017, foram conquistadas importantes obras de infraestrutura e logística, como a duplicação da PR-445, entre Londrina e Irerê, uma antiga reivindicação regional; além da conclusão do novo projeto do Contorno Norte e as três passarelas na PR 445, em Cambé e Londrina.

Atualmente  integram a comissão o deputado Tiago Amaral, Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL), Sociedade Rural do Paraná (SRP), Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (CEAL), Sinduscon Norte, Sindimetal, Grupo Folha de Comunicação, Associação das Empresas do Polo Industrial de Cambé (AEPIC) e Associação Médica de Londrina (AML). Recentemente, a OAB também se uniu à comissão.

 

Fontes: ASCOM da SRP e dos Dep. Estaduais Tiago Amaral e Tercílio Turini