Tecnologia 5G

MCom demonstra potencial do 5G para o agronegócio em Londrina (PR)

Tecnologia 5G

A Nokia, a operadora Sercomtel e a Embrapa Soja participam da homologação do sinal para uso experimental, a fim de definir parâmetros técnicos à instalação antes da disponibilização do sinal

O Ministério das Comunicações (MCom) promoveu nesta quinta (12/8), em Londrina (PR), nova demonstração de projetos-piloto de conectividade 5G, para apresentar soluções tecnológicas ao setor do agronegócio, que será diretamente impactado com a chegada da tecnologia. Desta vez, a Nokia, a operadora Sercomtel e a Embrapa Soja foram convidadas a homologar o sinal para uso experimental, a fim de definir parâmetros técnicos à instalação antes da disponibilização permanente do sinal. A ação contou com a participação do governador do Paraná, Ratinho Júnior, e dos ministros Fábio Faria (Comunicações) e Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

O ministro Fábio Faria defende que o agronegócio é o principal “vetor de crescimento”. “É a principal atividade que necessita de conexão e, com o 5G no agro, vamos ter crescimento do setor, ganhos de economicidade, produtividade, eficiência e sustentabilidade, não só para o agronegócio como também para todos os setores produtivos”, aponta.

A atividade realiza-se na Vitrine de Tecnologias da Embrapa, com solenidade de abertura e demonstração prática das soluções tecnológicas, seguidas de visita a um circuito de estações técnicas montadas no formato que simula “um dia de campo”. Nesse intuito, a Embrapa Soja acionou sua rede de parceiros vinculados ao ecossistema de inovação da cidade (Agrovalley) e startups que participam do programa “Soja Open Innovation”, com projetos em co-desenvolvimento de soluções de inovação. A fabricante de redes Nokia, provedora de tecnologia para a operação do 5G, e a Sercomtel, operadora dos serviços de telecomunicações, vão dar sustentação às demonstrações de conectividade. Entre as demonstrações estão inteligência artificial em tratores pulverizadores autônomos, drones de captação de imagem e monitoramento remoto de segurança patrimonial.

Os pilotos envolvem regiões urbanas específicas e áreas rurais que, normalmente, têm conectividade limitada. Os testes para o agronegócio serão realizados, em colaboração com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em cidades selecionadas pela referência de suas universidades e instituições de pesquisa agropecuária. Instalações e testes de antenas com 5G já foram conduzidas em Rondonópolis (MT) e em Sorocaba (SP).

“Essa profícua parceria entre o Mapa, o MCom e o Agro está, mais uma vez, colocando uma antena 5G em um centro superimportante. Além de atender a Embrapa Soja, levamos em consideração Londrina ser um centro de desenvolvimento tecnológico através do seu polo de inovação, mais voltado para as startups”, destaca a ministra Tereza Cristina.

Inovações que transformarão a indústria

A Sercomtel, pertencente ao Grupo Bordeaux, foi selecionada para realizar projeto piloto 5G Standalone em Londrina, no Norte do estado. “Sabemos da importância desta tecnologia e suas implicações para o desenvolvimento da indústria nacional, principalmente para o agronegócio. A Sercomtel se posiciona para ter uma rede de vanguarda, pronta para atender à demanda local e o agronegócio com a melhor tecnologia”, afirma Márcio Tiago Arruda, presidente da empresa.

Para Nelson Tanure, investidor do Fundo Bordeaux e atual proprietário da Sercomtel, a instalação tem o objetivo de melhorar a conectividade no campo, abrindo o caminho para as inovações que transformarão a indústria do agrobusiness no Brasil. “De certa forma, esse projeto traduz o que iremos desenvolver com a Sercomtel: uma empresa absolutamente inovadora, que traspassa as fronteiras de Telecom e se estabelecerá como uma referência em tecnologia”.

Experiência de um dia de campo tradicional

A Embrapa Soja e a Agrovalley selecionaram iniciativas que estão em desenvolvimento e representam o ecossistema de inovação da cidade. Nos próximos anos, com a consolidação da conectividade nas fazendas, elas deverão ser impulsionadas. O destaque entre os casos apresentados será o monitoramento em tempo real — denominado “Gado Digital” — no qual óculos de realidade mista, conectados à rede 5G, tornam possível a assistência veterinária remota. Além dessa demonstração, a experiência de um dia de campo trará um circuito por estações técnicas, onde participantes poderão conhecer e interagir com startups e suas soluções em desenvolvimento.

De acordo com o chefe-geral da Embrapa Soja, Alexandre Nepomuceno, Londrina é berçário de startups e de soluções inovadoras. “É um ecossistema de inovação muito robusto para dar sustentação às empresas de base tecnológica que irão combinar as tecnologias da 4ª Revolução Industrial com sistemas inteligentes para tomada de decisão agronômica no campo”, avalia. Para Ailton Santos, Head Brasil da Nokia, estar participando do piloto “reforça o compromisso em acelerar a digitalização do país e abrir caminhos para as inúmeras possibilidades de inovação”. Além de casos de startups, duas cooperativas do Paraná (Cooperativa Integrada e Cocamar) apresentarão casos de uso das aplicações que o 5G poderá impulsionar no setor.

Tecnologia 5G

Sociedade Rural

O presidente da Sociedade Rural do Paraná, Antônio de Oliveira Sampaio participou do evento de demonstração do potencial do 5G em Londrina nesta quinta, 12 de agosto. Ele reforçou a importância do 5G para a evolução na transmissão de dados no setor agro. “As máquinas hoje utilizam telemetria. Este é o futuro, com a conexão entre maquinários e produtores. A rapidez, a velocidade no transporte, na quantidade e capacidade de transmissão de dados é muito importante e a tecnologia 5G contribuirá ainda mais como desenvolvimento agropecuário.

Tecnologia 5G

 Ségio Carneiro, gerente regional da  Emater/IDR-PR; Vânia Cirino, diretora de Pesquisa do IDR-PR e Antôn io Sampaio, presidente da SRP